segunda-feira, outubro 18, 2021
No menu items!
Início Imigração Assessor revela que Biden anunciará proposta de reforma com cidadania para milhões...

Assessor revela que Biden anunciará proposta de reforma com cidadania para milhões ‘em seu primeiro dia de mandato’

Joe Biden tomará posse nesta quarta-feira e, ao que tudo indica, está mesmo disposto a lançar um ambicioso plano para refomar o sistema de imigração, com direito a cidadania para milhões de indocumentados. A proposta deverá ser uma de suas primeiras ações ao assumir a Casa Branca.

“Em seu primeiro dia de mandato, Joe Biden anunciará um projeto de lei que visa fornecer um caminho para a cidadania para cerca de 11 milhões de imigrantes indocumentados no país”. A afirmação é de Ron Klain, o novo chefe de gabinete.

Klain não divulgou informações sobre o que seria a legislação, que, se bem-sucedida, seria o maior passo para conceder status legal a pessoas sem documentos nos Estados Unidos desde que o presidente Ronald Reagan concedeu anistia a quase 3 milhões de pessoas, em 1986.

Kamala Harris teceu comentários em uma entrevista à Univision na semana passada, dizendo que os destinatários do DACA e do TPS “receberão Green Card automaticamente”, enquanto outros entrarão em um caminho de oito anos para a cidadania.

Os principais grupos de defesa de latinos e imigrantes que viram os detalhes do futuro pacote disseram que ficaram de queixo caído com a ousadia do plano de Biden. Na quinta-feira, o presidente eleito, a vice Kamala Harris, conselheiros políticos e três latinos nomeados para o gabinete se reuniram com defensores para delinear a imigração, entre outros assuntos.

Hector Sanchez Barba, chefe da Mi Familia Vota, que criticou Biden sobre a política de imigração no passado, não quis compartilhar detalhes específicos discutidos na reunião privada em que participou.

Ainda assim, ele garantiu que o plano de Biden “é a agenda mais agressiva que viu sobre a reforma da imigração” – não apenas o pacote legislativo, mas também ordens executivas”, que seriam lançadas logo no primeiro dia de governo.

Na reunião, Susan Rice, que liderará o Conselho de Política Doméstica de Biden, afirmou que o novo governo não estava prestes a introduzir uma reforma abrangente da imigração para simplesmente deixá-la parada.

Domingo Garcia, presidente da Liga dos Cidadãos da América Latina Unidos, declarou que o projeto daria a 11 milhões de imigrantes indocumentados um caminho para a cidadania, com uma espera de oito anos como residente permanente.

Biden também planeja uma ordem executiva instituindo uma extensão de quatro anos do programa DACA.

Durante a reunião, Biden também disse aos defensores que não vai segurá-lo por “100 dias” para aprovar a legislação de imigração porque o processo de impeachment no Senado “poderia atrasar as coisas”.

Os democratas, conscientes das dificuldades, estão divididos sobre a melhor forma de proceder. Alguns legisladores esperam que a proposta de Biden estabeleça um ponto de partida. Mas grandes questões permanecem sobre o que poderia ser incluído em um pacote de recuperação de coronavírus em vez de um projeto de lei de imigração expansivo.

Parlamentares dizem que Biden quer que o plano seja aprovado o mais rápido possível, mesmo que isso signifique adotar uma abordagem mais fragmentada.

Outros argumentam que uma verdadeira revisão do sistema de imigração do país só pode acontecer em um grande pacote que obrigue o Congresso a enfrentar a questão de frente.

Enquanto isso, o deputado Joaquin Castro (D-Texas), apoiado por mais de uma dúzia de grupos trabalhistas e de direitos dos imigrantes, disse que está planejando introduzir uma legislação que permite que trabalhadores essenciais sem documentos solicitem o status de residente permanente.

Segundo o projeto de lei, esses trabalhadores seriam elegíveis para solicitar a cidadania em cinco anos. Em uma chamada de imprensa na sexta-feira, o novo senador Alex Padilla (D-Calif.) afirmou que os imigrantes sem documentos nas linhas de frente no combate à pandemia “merecem não apenas as proteções da Covid e trabalhistas, mas a segurança de um caminho para a cidadania”.

O projeto de lei apresentado pelo deputado estabelece uma definição ampla para trabalhadores essenciais que poderia abranger cerca de 5 milhões de imigrantes sem documentos, incluindo Dreamers e beneficiários do Status de Proteção Temporária (TPS), de acordo com um esboço compartilhado com o site “Politico”. E poderia ser aprovado como um projeto de lei independente, ou como parte do apacote de alívio do coronavírus ou de imigração, disse Castro.

Já a deputada Veronica Escobar (D-Texas) declarou que uma abordagem “fragmentada” não é uma opção.

“O governo tem uma janela de oportunidade muito limitada antes que os membros da Câmara comecem a se candidatar à reeleição. Cada dia que passa é um dia em que a janela fecha um centímetro a mais . Temos que fazer isso de uma só vez.”

O senador Bob Menendez (D-N.J.) concordou. Adotar uma abordagem passo a passo, como anexar status legal para grupos selecionados a projetos de lei obrigatórios, representa um “grande risco” que deixaria alguns imigrantes sem documentos sem proteção.

Os principais legisladores democratas e funcionários do Congresso têm estado em “comunicação constante” com a equipe de transição de Biden e redatores de políticas sobre o plano de imigração. 

Legisladores e grupos pró-imigrantes disseram, com base em conversas com a equipe de Biden, que estão confiantes de que o futuro presidente terá uma abordagem diferente para a imigração do que Barack Obama.

Os conselheiros de política de imigração que Biden adicionou à sua equipe de grupos de defesa como America’s Voice e The Immigration Hub são um sinal positivo, demonstrando um novo direcionamento para buscar resolver a questão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

POPULARES